Embaixada da República Tcheca em Brasília

česky  português 

Pesquisa avançada

Recomendar o artigo Imprimir Decrease font size Increase font size

Mostra de cinema tcheco contemporâneo em BH

A Embaixada da República Tcheca, o Governo de Minas, a Fundação Clovis Salgado e o Itaú apresentam a Mostra de cinema tcheco contemporâneo de 8 a 14 de março de 2013 no Cine Humberto Mauro, Palácio das Artes em Belo Horizonte. Verifique a classificação indicativa de filmes. Todas as sessões têm entrada gratuita.

A República Tcheca possui uma grande tradição na produção cinematográfica desde o século passado e hoje em dia são produzidos aproximadamente trinta filmes de longa metragem anualmente no país. A cinematografia tcheca ganhou notoriedade mundial nos anos 1960, através de cineastas como Jiří Menzel, Miloš Forman, Vojtěch Jasný, Jan Němec, Věra Chytilová e Ivan Passer.

A mostra se concentra principalmente na produção mais recente do país. Trata-se de uma mistura de gêneros e temas, dentre eles comédias, dramas, documentário e animação. Filmes que lidam com a guerra e o regime totalitário, sempre presentes na obra dos cineastas tchecos. Serão exibidas obras de diversos diretores, muitos deles premiados em festivais internacionais como é o caso de Jiří Menzel, Jan Svěrák, Miloš Forman (todos ganhadores de prêmio Oscar), Helena Třeštíková, Jan Hřebejk, Radim Špaček e Marek Najbrt.

Para mais informações acesse o site da Fundação Clovis Salgado.

Programação:

08 SEX
17h
MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Retorno de Kuky (Kuky se vrací, 2010), de Jan Svěrák | (Livre) | 93’
19h MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Baile dos Bombeiros (Hoří, má panenko! 1967), de Miloš Forman | (Livre) | 75’
20h30 MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Algemas (Pouta, 2010), de Radim Špaček | (14 anos) | 146’

09 SÁB
16h
MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Ninhos e Tocas (Pelíšky, 1999), de Jan Hřebejk | (Livre) | 115’
18h MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Você beija como um deus (Líbáš jako bůh, 2008), de Marie Poledňáková | (12 anos) | 116’
20h MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Lídice (Lidice, 2011) de Petr Nikolaev | (12 anos) | 121’

10 DOM
16h
MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Solitários (Samotáři 2000), de David Ondříček | (12 anos) | 104’
18h MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Eu servi o rei da Inglaterra (Obsluhoval jsem anglického krále, 2006), de Jiří Menzel | (12 anos) | 120’
20h15 MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Protetor (Protektor, 2009) de Marek Najbrt | (12 anos) | 98’

11 SEG
17h
MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Marcela (Marcela, 2007). de Helena Třeštíková | (12 anos) | 82’
19h MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Ninhos e Tocas (Pelíšky, 1999), de Jan Hřebejk | (Livre) | 115’
21h MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Baile dos Bombeiros (Hoří, má panenko! 1967) de Miloš Forman | (Livre) | 75’

12 TER
16h45
MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Lídice (Lidice, 2011) de Petr Nikolaev | (12 anos) | 121’
19h MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Retorno de Kuky (Kuky se vrací, 2010), de Jan Svěrák | (Livre) | 93’
20h30 MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Algemas (Pouta, 2010) de Radim Špaček | (14 anos) | 146’

13 QUA
17h
MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Você beija como um deus (Líbáš jako bůh, 2008), de Marie Poledňáková | (12 anos) | 116’
19h MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Protetor (Protektor, 2009) de Marek Najbrt | (12 anos) | 98’
21h MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Eu servi o rei da Inglaterra (Obsluhoval jsem anglického krále, 2006), de Jiří Menzel | (12 anos) | 120’

14 QUI
17h
HISTÓRIA PERMANENTE DO CINEMA| Um Estranho no Ninho (One Flew Over the Cuckoo's Nest, 1975), de Milos Forman | (14 anos) | 133’ | Sessão comentada
19h45 MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Marcela (Marcela, 2007), de Helena Třeštíková | (12 anos) | 82’
21h15 MOSTRA DE CINEMA TCHECO CONTEMPORÂNEO | Solitários (Samotáři 2000), de David Ondříček | (12 anos) | 104’

Verifique a classificação indicativa. Todas as sessões são gratuitas.



 

Sinopse de filmes:

 

Algemas (Pouta, Radim Špaček, República Tcheca, 2010, 146’,14 anos)

Uma psicanálise pesada sobre o poder do estado sobre cidadãos em regimes totalitários. António, membro da polícia secreta, um herói imprevisível cheio de raiva e complexo. Ele apaixona-se por uma cidadã inocente que persegue, numa ilusão de escapar da jaula da vida monótona, sem sentido. O desejo ardente dele por Clara faz com que ele se vire contra sua própria organização e sistema, mantendo todos os personagens do filme e o público em constante tensão. O melhor filme tcheco do ano 2010.

Retorno de Kuky (Kuky se vrací, Jan Svěrák, República Tcheca, 2010, 93’, livre)

Uma história aventureira e poética para toda a família, na qual a imaginação das crianças assume o papel principal. O pequeno Ondra sofre de asma e por isso a sua mãe decide jogar no lixo o seu brinquedo favorito, o urso de pelúcia Kuky. Quando Kuky é jogado fora, a imaginação de Ondra começa a trabalhar. Será que a história é apenas um sonho de um menino ou Kuky realmente foi a maior aventura de sua vida de pelúcia? O Retorno de Kuky é um filme inédito no Brasil, repleto de cenas de ação e diálogos espirituosos, conectando crianças e público adulto. Durante a Mostra, será exibida a versão em inglês, com legendas em português. O filme é do consagrado diretor Jan Svěrák (Kolya - Uma lição de amor e vencedor de Oscar) e foi premiado nos festivais internacionais de Karlovy Vary (República Tcheca) e Bucareste (Romênia).

Baile dos Bombeiros (Hoří, má panenko!, Miloš Forman, Tchecoslováquia e Itália, 1967, 75’, livre)

O primeiro filme a cores de Milos Forman. Baile dos Bombeiros é uma comédia deslumbrante com uma sátira política provocante. Uma saga alegre de boas intenções e confusões. É uma crônica de um baile dos bombeiros, onde nada dá certo - desde um concurso de beleza até a um sorteio do qual quase todos os prêmios ridículos são roubados. Considerado pela crítica como um marco na filmografia de Forman. Logo após a invasão da Tchecoslováquia pela URSS o filme foi proibido e banido durante a ditadura do comunismo.

Lídice (Lidice, Petr Nikolaev, República Tcheca, Polônia e Eslováquia, 2011, 121’. 12 anos)

O filme é baseado nos fatos reais da tragédia da vila tcheca Lídice que foi completamente destruída e apagada do mapa pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial em 10 de junho de 1942. O balanço dessa tragédia foi terrível não somente pelo número total de vítimas: 192 homens foram executados, 58 mulheres morreram em campos de concentração e 88 crianças foram assassinadas na câmara de gás. Sete crianças “etnicamente adequadas” foram enviadas para re-educação. Contudo, o filme Lídice conta uma história de pessoas comuns, que uma coincidência absurda levou para o caminho da história quando a vila inteira se tornou um objeto da vingança bestial nazista após o assassinato do SS-Obergruppenführer Reinhard Heydrich, de forma a fazer um aviso exemplar para o mundo inteiro.

Protetor (Protektor, Marek Najbrt, República Tcheca, 2009, 98’, 12 anos)

O que você é capaz de fazer por amor? Praga, 1939, a história de uma relação fatídica entre duas pessoas que vivem um drama de guerra por trás do seu próprio drama particular. Introspecção sobre os verdadeiros sentimentos de amor, que em tempos extremos, pode levar à beira da autodestruição. Um jogo arriscado de carreira, sentimento, dignidade humana e, finalmente, de uma vida em tempos sombrios de guerra. O filme ganhou o premio de Melhor Filme no festival de cinema em Kracowia em 2009.

Marcela (Marcela, Helena Třeštíková, República Tcheca, 2007, 82’, 12 anos)

A vida de Marcela, uma mulher tcheca comum, é acompanhada ao longo de várias décadas. O espectador se envolve com a luta diária e os problemas da vida trágica da mulher, especialmente quando sua filha morre de forma inesperada e ela quase comete o suicídio. O filme inicialmente integrava uma série que tinha a proposta de acompanhar o destino de seis casais, mas os acontecimentos da vida de Marcela levaram a diretora a se concentrar somente na vida dela. Melhor Documentário do Festival Europeu de Sevilha, 2007 (Espanha), Melhor Documentário do Festival Internacional de Cinema de Ismailia 2007 (Egito), Melhor Documentário no Festival de Documentários da República Tcheca 2007.

Você beija como um Deus (Líbáš jako bůh, Marie Poledňáková, República Tcheca, 2008, 116’, 12 anos)

Na sua profissão, Helena está entre os mais populares professores na escola. Porém, ela terá de enfrentar momentos imprevisíveis na sua vida pessoal. A coexistência no mesmo apartamento com seuex-marido Karel, seu filho adolescente Adam, problemas com a irmã Kristyna e a avó Alžbětafaz com que ela deixe de lado seus próprios sentimentos. Mas um diaHelena se apaixona e começa um relacionamento turbulento, cheio de paixão, separações e retornos, em que arelação de amoré conturbada por três outros membros da família e ex-companheiros.

Ninhos e tocas (Pelíšky, Jan Hřebejk, República Tcheca, 1999, 115’, livre)

Uma comedia familiar retro com um toque amargo. A história acontece na véspera da ocupação da Tchecoslováquia pelas tropas do Pacto de Varsóvia em agosto de 1968. Um retrato de duas famílias vizinhas de origem cultural e social diferente que estão em constante desacordo por causa de posições ideológicas opostas e que involuntariamente partilham as suas vivencias, tanto positivas como negativas. Melhor filme tcheco de 1999.

Eu Servi o Rei da Inglaterra (Obsluhoval jsem anglického krále, Jiří Menzel República Tcheca, 2006, 120’,12 anos)

Da infância simples até o posto de garçom em um restaurante de luxo. Jan Dite foi sempre  motivado por sua vontade patológica de se tornar um milionário o que atinge por um instante no final da Segunda Guerra, mas logo depois de ele ter conseguido é preso devido a mais uma mudança do regime totalitário. Após ter saído do presídio, já como um homem velho, ele narra a história irônica de sua vida finalmente descobrindo que dinheiro não é o mais importante. Uma adaptação extraordinária do romance do Bohumil Hrabal (1974) feita pelo consagrado cineasta tcheco Jiří Menzel (Trens Estreitamente Vigiados, vencedor do Oscar).

Solitários (Samotáři, David Ondříček, República Tcheca, 2000, 104’,12 anos)

Histórias entrelaçadas se desenvolvem ao redor de um grupo de personagens, todas com idade em torno dos trinta anos, e seus relacionamentos. A vida de cada uma delas reflete de certa forma a instabilidade de nossas vidas e a confusão em nossas cabeças. Quase todas as figuras tentam melhorar ou mudar as suas relações pessoais, o que lhes conduz a uma série de confrontos que acabam levando à decepção e, finalmente, de volta à solidão. Filmado em Praga, com uma excelente trilha sonora, o filme é considerado Cult pela jovem geração tcheca.


Cartaz da Mostra de cinema tcheco contemporâneo em BH