português  česky 

Pesquisa avançada

Relações bilaterais entre a República Tcheca e a República Federativa do Brasil

As relações bilaterais entre a República Tcheca e a República Federativa do Brasil são uma continuação direta e ininterrupta de relações corretas e não problemáticas as quais mantiveram o Brasil e a Tchecoslováquia.

Essas relações tiveram principalmente a forma de colaboração na área econômica com auge na época entre as duas Guerras Mundiais, quando o Brasil conhecia os produtos tchecos das marcas Škoda (carros), ČKD (máquinas industriais), JAWA (motocicletas), e também cristal de Bohêmia e a cerveja tcheca. Até hoje estes dois últimos produtos são famosos no Brasil e o nome "Pilsen" (cidade tcheca com produção tradicional de cerveja) faz parte de algumas das marcas de cerveja brasileira.

Na época depois da Segunda Guerra Mundial a Tchecoslováquia exportava para o Brasil grandes conjuntos de investimentos, como equipamentos técnicos para fábricas de cimento, cervejarias e para usinas de açúcar. Em 1994 foi fundada em São Paulo a Câmara de Comércio Brasil - República Tcheca. Nos últimos anos o Brasil continua em primeiro lugar entre os parceiros econômicos da República Tcheca na América Latina.

O conhecimento brasileiro sobre a Tchecoslováqia foi marcado pelo fato de que o mais famoso presidente brasileiro Juscelino Kubitchek teve as raízes familiares tchecas. A imagem positiva de Tchecoslováquia também foi formada pelos emigrantes políticos brasileiros da época da ditadura militar brasileira que encontaram asilo na Tchecoslováquia.


Relações diplomáticas

O Brasil foi o primeiro país da América Latina a reconhecer a Tchecoslováquia como país soberano e independente já em dezembro de 1918 (Tchecoslováquia foi criada em 28 de outubro de 1918). Em 1920 o primeiro Embaixador tchecoslovaco entregou suas credenciais para o presidente brasileiro Epitacio Pessoa e no ano seguinte o Embaixador brasileiro Carlos Lemgruber Kropf assumiu sua função na Tchecoslováquia. Em 1931 foi assinado o primeiro Acordo comercial e de taxas entre os dois países.

As relações diplomáticas foram interrompidas em março de 1939 com a chegada dos nazistas em Praga e com a criação de Protetorado da Bohemia e da Moravia. A Tchecoslováquia teve que entregar a sua Embaixada no Rio de Janeiro para os alemães. O Brasil nunca, com nenhum ato oficial, reconheceu o Protetorado nem o Estado Eslovaco (eslovacos proclamaram seu estado independente depois da ocupação da parte tcheca pelos alemães). As relações diplomáticas foram oficialmente restabelecidas em 1942 - entre o Governo brasileiro e o Governo tchecoslovaco exilado em Londres.

Em 1960 as missões diplomáticas dos dois países foram promovidas ao nível de Embaixadas. O Brasil reconheceu a República Tcheca em 1 de janeiro de 1993 (data da separação oficial de Tchecoslováquia) e no mesmo dia estabeleceu as relações diplomáticas com a mesma.

O Brasil tem Embaixada na capital Praga e a República Tcheca tem Embaixada em Brasília e Consulado Geral em São Paulo.


Relações políticas

As relações políticas da República Tcheca com o Brasil têm sempre sido corretas.

Desde 1990 até a presente data, foram realizadas seguintes visitas de representantes oficiais tchecos para o Brasil:

2009 - Václav Klaus, Presidente
2008 - Ondřej Liška, Ministro da Educação, Juventude e Atividades Físicas
2008 - Martin Říman, Ministro da Indústria e Comércio
2006 - Jiří Paroubek, Primeiro Ministro
2005 - delegação dos Senadores da Comité de Compatriotas Tchecos
2005 - delegação dos Deputados da Comité de Economia e Comércio
2004 - delegação dos Senadores da Comité Constitucional
2004 - Milan Urban, Ministro da Indústria e Comércio
2003 - Petr Pithart, Presidente do Senado
2002 - Jan Kavan, Ministro das Relações Exteriores
2000 - delegação dos Senadores da Comité de Economia e Comércio
1999 - Jan Fencl, Ministro da Agricultura
1998 - Jiří Šedivý, Ministro das Relações Exteriores
1996 - Václav Havel, Presidente
1995 - Josef Lux, Ministro da Agricultura
1995 - Josef Zieleniec, Ministro das Relações Exteriores
1994 - Václav Klaus, Primeiro Ministro

Entre as visitas mais importantes dos representantes brasileiros à República Tcheca podemos mencionar a visita de Luiz Inácio Lula da Silva, Presidente, em abril de 2008, a visita de R. Tebet, Presidente do Senado, em 2002, e a visita de F.H.Cardoso em 1994 (antes de assumir a presidência).


Relações culturais

Cada ano há vários acontecimentos culturais que têm como objetivo aproximar a cultura tcheca ao público brasileiro: exposições, concertos de música clássica, apresentações de grupos folclóricos ou grupos de teatro, etc. Alguns destes acontecimentos são realizados com o apoio da Embaixada ou Consulado Geral da República Tcheca, outros são realizados pelas entidades culturais e filantrópicas brasileiras e tchecas.

Cada ano dezenas de estudantes brasileiros (universitários e também de segundo grau) viajam para estudar ou realizar estágio na República Tcheca. Na maioria de casos trata-se de estudantes que conseguiram esta possibilidade através de acordos diretos entre as universidades ou através de alguma agência internacional de estudantes (AFS, IAESTE, AIESEC, etc.), Rotary Clubes e outras instituições não governamentais.

Desde 2005 o Governo tcheco envia dois professores da língua tcheca para o Brasil (os cursos da língua tcheca são realizados em São Paulo, Nova Petrópolis - RS e Batayporã - MS, e desde 2006 o Governo brasileiro envia um professor da língua portuguesa para Praga.

17 de setembro de 2007 - Ceremónia da consagração da Nossa Senhora da Aparecida na igreja da Nossa Senhora Vitoriosa em Praga. Aqui foi colocada a imagem do Menino Jesus de Praga, em 1628.